Trovas de Natal





Eu pensei que o bom velhinho
Ia me deixar um presente
Mas ele entrou e saiu de fininho
E roubou minha escova de dente
É natal, é natal.
Todo mundo está contente
Fui cantar no quintal
Cai e quebrei um dente.
Ouvi um ruído no telhado
Pensei que era o bom velhinho
Um gatuno desalmado
Afanou meu sapatinho.
Pedi ao bom velhinho
Um terreno fecundo
Ele me disse baixinho:
― Vai trabalhar vagabundo.
Pedi ao bom velhinho
Um ranchinho assossegado
Ele me disse: ― Mocinho!
Deixa de ser folgado.
Eu pensei que todo mundo
Fosse filho de Papai Noel.
Disse mamãe em tom profundo:
― Que nada! Seu pai é o Manuel