UM POUCO DA MINHA EXPERIÊNCIA - por Denise Mascarenhas


Aldeia Nativa

Denise Mascarenhas       2 de Setembro de 2012 20:47

O Xamanismo faz parte dos caminhos de desenvolvimento humano com visão integral e cada vez mais entendo a necessidade de adotarmos modelos integrais que enfatizam a totalidade de nosso ser, para conseguirmos ampliar de fato a nossa consciência.
O Xamanismo, como prática, ainda é pouco conhecido da maioria das pessoas, que costumam relacioná-lo a coisas exóticas e estranhas. Mesmo nos meios mais familiarizados com as práticas espirituais o Xamanismo não tem a mesma credibilidade de outras. Anos neste trabalho me fazem perceber seu efeito nas pessoas, e eu mesma me faço constantemente esta pergunta: O que é uma prática Xamânica e o que ela tem de fato a oferecer para o nosso desenvolvimento?
Considerando que Xamanismo é originário da Sibéria, mas que sua prática se estendia por diversos povos do planeta, há mais de 5000anos, é de se supor que haja não apenas uma, mas diversas práticas xamânicas. Assim temos o Xamanismo norte-americano, celta, tibetano, tolteca, amazônico, australiano, havaiano, etc. Mas mesmo diferentes eles tem muito em comum, e em essência o Xamanismo é uma prática de relacionamento com o sagrado.
A noção de sagrado está presente em todo e qualquer Xamanismo. O Sagrado está em tudo, e em todas as nossas relações, muito bem expresso pelo cumprimento nativo Lakota: Mitakuye Oyasin que significa - Eu sou aparentado com tudo o que existe, refletindo a crença fundamental das tradições nativas americanas de que tudo está interconectado.
Embora nos sintamos hoje interconectados uns aos outros de forma virtual e a internet é a nossa maior prova disto, a maioria das pessoas vive uma overdose de mente, um excesso de pensamentos.
As antigas tradições orientais com suas práticas de mediação ensinam a importância de silenciar a mente, e hoje se torna cada vez mais difícil para nós conseguirmos um segundo de silêncio interno. Nossa experiência de vida torna-se cada vez mais mental.
Pensamos as coisas, refletimos sobre as coisas, temos teorias complexas sobre tudo, mas falta-nos a força para sairmos da mente e promovermos as mudanças que queremos. Embora conhecendo tudo, tendo acesso a tudo, as pessoas não conseguem sair do lugar e promover de fato mudanças em sua vida.
Se observarmos atentamente, cresce o número de pessoas que mesmo cheias de conhecimentos e informações, com enormes redes de amigos virtuais, estão embotadas e desvitalizadas. Cabe aqui a pergunta: POR QUÊ?
Porque nossos conhecimentos não nos ajudam?

Então me reporto a OSHO
“O risco de nos tornarmos intelectuais e cultos, sem a vivência, é deixarmos de nos envolver com a vida. Entendemos a vaca, o cachorro, o tempo, as pessoas, mas não estamos interessados por eles. Nossa mente fica então, muito estreita.
A vida perde muito de seu valor intrínseco e na falta deste valor, somos vítimas fáceis do estilo contemporâneo de viver. Corremos atrás de dinheiro, poder, contas, tempo. Ficamos perdidos em meio às inúmeras solicitações do mundo moderno.”
PARAR! SENTIR! VIVENCIAR! ESTAR MARAVILHADO E RECEPTIVO!
Ampliar as possibilidades de percepção de si mesmo e dos outros, relacionar-se com as pessoas e com o meio ao nosso redor de forma mais sensível, envolvente e sagrada.
É exatamente isto que as práticas vivenciais nos possibilitam e muito profundamente é isto que a prática do Xamanismo tem a nos oferecer.
E embora saibamos disto intelectualmente não é fácil sair do estado mental para o estado vivencial e de presença.
Por isto precisamos praticar, tirar um tempo de nossa rotina pra praticar esta sensibilidade e reconexão com o sagrado que o Xamanismo ajuda e muito a resgatar.
Nas simples e profundas práticas xamânicas, como sentar-se em grupo, ao redor de uma fogueira, aprende-se muito. Aprende-se a ouvir, a falar, a resgatar a magia do encontro, a perceber a dimensão profunda da existência. Muita coisa acontece internamente quando estamos disponíveis, sem a interferência da televisão, do álcool, das comidas que nos embotam sentados em círculo, no chão, simples e abertos, simplesmente estando ao redor de uma fogueira.
Uma magia acontece, uma magia perdida, que nenhuma experiência intelectual pode nos dar. A vivência do sagrado faz-se presente muito facilmente nas práticas xamânicas e praticar Xamanismo é um caminho profundo de transformação e resgate do sentido existencial e o coloca na mesma dimensão de outras práticas espirituais com foco na iluminação.
“Se você viu o sol se erguendo pela manhã e foi arrebatado por ele, você pode se sentir totalmente diferente o dia inteiro. Se você viu os pássaros voando e esteve com eles por um momento, você se sentirá uma pessoa completamente nova -- sua vida começou a mudar. Essa é a maneira de você se tornar um iniciado. Você precisa absorver a beleza da existência, a sua absoluta alegria, a sua bênção transbordante. (Osho, The Tong-tip Taste of Tao).